Buscar
  • Tendência Energia

Busca por corte de gastos aquece mercado solar de franquias

Rede de franquias da Solarprime, por exemplo, teve alta de 24% de janeiro a agosto deste ano


A alta na conta de luz, em função do agravante da crise hídrica no Brasil, fez com que o número de brasileiros, que estão procurando reduzir os gastos com eletricidade por meio da fonte solar, crescesse nos primeiros sete meses do ano.

Além disso, segundo pesquisa realizada pelo Datafolha, 90% dos brasileiros querem gerar a própria energia, seja por meio de painéis fotovoltaicos ou por outras fontes renováveis. Esse percentual era de 77% em 2014.

Com este número crescente de consumidores que estão apostando na sustentabilidade, aumenta a possibilidade de modelos de negócios para os diferentes tipos de empreendedores, como o setor de franquias de energia solar.

De acordo com Lyana Bittencourt, CEO do Grupo Bittencourt – consultoria especializada no desenvolvimento, gestão e expansão de redes de negócios e franquias – o franchising tem sido uma opção para escalar esses negócios por meio de parceiros estratégicos e franqueados. Alguns modelos começam a surgir no mercado, e um exemplo, é a franquia home-based, tendência que permite operar todo o negócio diretamente da própria casa.

Outro é o store in store (dentro de outra loja), no qual é instalado a franquia em um espaço dentro de um ponto comercial já existente, seja próprio ou de terceiros, que assim como no modelo anterior, tem como vantagem a grande redução dos custos quando comparado aos gastos de um local comercial próprio.

“Estamos positivos em relação aos estudos que temos feito sobre as possibilidades de ampliação do mercado no Brasil em relação à energia solar. Com a pandemia, o consumidor tem cobrado das empresas ainda mais posicionamento sustentável, seja por ideologia, seja por necessidade de um consumo mais consciente”, apontou.

Segundo a executiva, as empresas, em contrapartida, têm se conscientizado sobre os impactos que causam tanto no aspecto social, ambiental e da necessidade de maior governança para gerir esses aspectos. “Isso tem se mostrado como uma oportunidade no mercado”.

“Portanto, tal segmento é rentável e ambientalmente responsável. E isso traz benefícios tanto para o empreendedor quanto para a sociedade”, finalizou.

Dados sobre franquias de energia solar

Para exemplificar o crescimento desse setor, Sandro Cubas, gestor de franquias da Solarprime, trouxe alguns dados. De janeiro a agosto deste ano, a rede de franquias de energia solar da empresa cresceu 106 unidades, contando atualmente com 430 no total – ou seja, alta de 24%.

“Tal segmento está em plena expansão no Brasil, devido à necessidade que o país encontra de ver que a conta de luz é uma parte importante dos custos do consumidor final. Então, principalmente na pandemia, esse olhar se voltou um pouco mais para quanto se gasta em casa, e as empresas, consequentemente, começaram também a olhar os custos que elevam o seu lucro”, explicou.

“Nessa linha, a Solarprime tem trabalhado para entregar para os candidatos um modelo de negócio já testado e comprovado na área que forma empresários para o setor fotovoltaico”, disse Cubas.

De acordo com o especialista, o destaque vai para o modelo home-office, que detém a maior parte das franquias da companhia, por ser uma categoria enxuta, viável, rápida e bem estruturada – que visa qualificar cada vez mais o mercado.

“Neste caso, o empresário, sem a necessidade de um ponto comercial, começa a fazer a sua carteira e já tem todo um know-how. Outra vantagem é que o mesmo terá a operação em mãos. Nós formatamos o franqueado para ele ter toda a prospecção, vendas, instalações, controle financeiro e treinamento completo”, ressaltou.

“Temos um time de mais de 100 engenheiros que darão toda a estrutura, para que tanto o cliente franqueado quanto os clientes finais tenham a garantia de ótimas instalações”, enfatizou o executivo.

Para se ter uma ideia, o gestor de franquias comentou que a Solarprime tem franqueados que iniciaram em 2021 e já obtiveram o retorno de investimento em apenas dois meses. “Inclusive, já possuem faturamento de mais de R$ 1 milhão no ano, mostrando assim uma alta performance com boa rentabilidade”, concluiu.


Fonte: https://canalsolar.com.br/busca-por-corte-de-gastos-aquece-mercado-solar-de-franquias/

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O prédio da Escola de Governo, localizado no Centro Administrativo em Natal, receberá energia solar para diminuir os gastos com energia elétrica e atenuar os impactos ambientais, já que o sistema é su