Buscar
  • Tendência Energia

Setor fotovoltaico gerou mais de 86 mil empregos no Brasil em 2020

Dois mil e vinte, apesar do impacto na economia devido à Covid-19, foi um bom ano para o mercado fotovoltaico brasileiro. Dados da ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), apontam que mais de 86 mil novos empregos foram criados no setor solar em todo o território brasileiro só no passado.

Este número representa uma alta de 62% em relação aos empregos acumulados no Brasil desde 2012. Ainda segundo o levantamento da associação, em 2020 a fonte fotovoltaica movimentou mais de R$ 13 bilhões em negócios, um aumento de 52% em relação aos investimentos acumulados no país desde 2012.

Ainda segundo levantamento da ABSOLAR, a geração de energia solar cresceu 64% em comparação com 2019. Em 2020, o Brasil foi de 4,6 GW para 7,5 GW de potência instalada.



Desempenho das empresas em 2020


Diversas empresas registraram um bom desempenho no ano passado. Entre elas, estão a Prouato, empresa especializada na proteção de sistemas fotovoltaicos.

Segundo Renan Garcia, executivo de contas da empresa, foi um ano desafiador nos primeiros seis meses de 2020 devido à pandemia, mas ainda assim a Proauto alcançou as expectativas e está confiante para este ano.

"Dois mil e vinte foi um ano de grandes desafios, com muito aprendizado e reinvenções de diversas maneiras. Para 2021 continuamos acreditando no crescimento exponencial do GD no Brasil, e consequentemente no crescimento da Proauto junto aos seus parceiros e clientes", afirmou Garcia.

A MCM Solar Energy, empresa representante da FotoFix, fornecedora de fixadores de sistemas fotovoltaicos, também teve um bom ano em 2020.

"Dois mil e vinte foi o primeiro ano efetivo da FotoFix, lançando sua marca para o mercado. Um dos nossos objetivos foi entender as necessidades dos instaladores. Conseguimos cumprir esta tarefa ao lançarmos a geração 3.0", comentou Edson Marasco, fundador da MCM Solar Energy.

"Outro objetivo da empresa foi de aumentar a malha de distribuição para o Nordeste e o Centro-Oeste, já que nossos negócios estavam muito focados em São Paulo. Este ano vamos em busca do mercado nacional, onde queremos ter pelo dois distribuidores em cada estado brasileiro, além disso planejamos lançar novos produtos, ampliar nossa equipe comercial conquistar parceiros estratégicos para atender todo território nacional", acrescentou Marasco.

Quem também acompanhou o crescimento da energia solar em 2020 foi a Ecori Energia Solar, distribuidora de equipamentos fotovoltaicos. Segundo Leandro Martins, presidente da empresa, a companhia fechou o ano acima da taxa de mercado e busca aumentar esse crescimento nesta ano.

“Para 2021 esperamos um crescimento de 100% do setor, o que representará aproximadamente 4,5 GW de potência instalada somente neste ano, mas principalmente que possamos continuar avançando com um marco legal para o setor”, destacou Martins.



Arrecadação de impostos


O levantamento da ABSOLAR ainda apontou que em 2020 o mercado fotovoltaico proporcionou mais de R$ 3,9 bilhões em arrecadação aos cofres públicos. Um crescimento de 52% em comparação ao total arrecadado no período entre 2012 e 2019.



Potencial da fonte solar no Brasil


Atualmente, são 4,4 GW da fonte solar fotovoltaica no segmento de geração distribuída, com R$ 20 bilhões em investimentos acumulados desde 2012. A tecnologia solar esta presente em 99,9% de todas as conexões de GD no país.

Já a GC (geração centralizada) possui 3,1 GW de potência instalada, o que corresponde a 1,6% da matriz elétrica do país. As usinas solares de grande porte são a sétima maior fonte de geração do Brasil, operando em nove estados brasileiros, com investimentos que ultrapassam R$ 15 bilhões.

Somando a capacidade instalada no segmento de GD e GC, a fonte solar ocupa o sexto lugar na matriz elétrica do Brasil. A fonte solar possui uma potência instalada 32% maior do que a soma de todas as termelétricas a carvão e usinas nucleares brasileiras, que totalizam 5,6 GW.

Dados da ANEEL (o que é), mostram que país tem mais de 350 mil sistemas fotovoltaicos conectados à rede, trazendo economia aproximadamente 450 mil UCs (unidades consumidoras) que estão presentes em todos os estados.

Os cinco maiores estados em potência instalada são Minas Gerais, Rio Grande do Sul, São Paulo, Mato Grosso e Paraná, respectivamente.

Segundo Ronaldo Koloszuk, presidente do Conselho de Administração da ABSOLAR, embora a fonte tenha avançado em 2020, o mercado de energia solar no Brasil tem muito potencial para crescer.

“Há mais de 85 milhões de consumidores de energia elétrica no país, porém apenas 0,5% usa o Sol para produzir eletricidade”, ressaltou Koloszuk.

“A energia solar fotovoltaica reduz o custo de energia elétrica da população, aumenta a competitividade das empresas e desafoga o orçamento do poder público, beneficiando pequenos, médios e grandes consumidores do País. O setor solar fotovoltaico trabalha para acelerar a expansão renovável da matriz elétrica brasileira, a preços competitivos. Somos a fonte renovável mais barata do Brasil e ajudaremos o País a crescer com cada vez mais competitividade e sustentabilidade”, apontou Rodrigo Sauaia, CEO da ABSOLAR.


Fonte: https://www.canalsolar.com.br/noticias/item/1430-setor-fotovoltaico-gerou-mais-de-86-mil-empregos-no-brasil-em-2020

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Energia Solar bate novo recorde no Nordeste

Segundo ONS, geração média alcançou 561 MW médios na terça-feira, 6 de abril O Operador Nacional do Sistema Elétrico divulgou que a região Nordeste registrou um novo recorde de geração solar fotovolta